Solidariedade que vem do judô

notas_real_50_2_de_1-4 (1)
Nova linha de crédito do governo federal é boa alternativa para micros e pequenas empresas, avalia Fecomércio MG
Os processos se darão via Sistema Eletrônico de Informações – SEI
Parcelamentos do solo no Vale do Aço contarão com Anuência Digital

Solidariedade que vem do judô

Equipe do Projeto Ajudôu

Equipe do Projeto Ajudôu

Os efeitos da crise do Covid 19 são sentidos na pele pelos alunos do Projeto Ajudôu em Timóteo. Ou melhor, são sentidos no estômago. Por causa da suspensão das aulas nas escolas da cidade, as crianças deixaram de estudar e se alimentar. Muitas delas perderam uma das principais refeições do dia. Sem a merenda escolar, junto com o desemprego dos pais, a falta de comida na mesa passa a ser uma realidade.

“Em momentos como o que estamos vivendo, as crianças não precisam de aulas de judô. Precisam é de comida na mesa. Diante dessa triste realidade, decidimos realizar uma campanha para ajudar nossos alunos e suas famílias”, destaca Júlio César Lana Jaques, fundador e gestor executivo do Ajudôu. A campanha Ajudôu VS Coronavírus já arrecadou 100 cestas básicas e 100 kits de limpeza que foram entregues, na última sexta-feira, em Timóteo.

As famílias foram contempladas com base na renda declarada na inscrição do Ajudôu, referendadas pelos professores, que conhecem muito bem suas turmas. Foram distribuídas 17 cestas para cada um dos seis núcleos, que funcionam na Escola Municipal Infantil João Bolinha no Cachoeira do Vale, Escola Municipal Clarindo Carlos Miranda no Macuco, Escola Municipal do bairro Limoeiro, Escola Municipal Ana Moura no Vale Verde e Escola Municipal do bairro Novo Tempo.

A maior parte das famílias possuem um perfil muito parecido, com baixo orçamento familiar e grande número de filhos. É o caso de Fabiana de Sousa, dona de casa. Das 5 filhas, 4 são alunas do Projeto Ajudôu do bairro Macuco. O Covid 19 os impactou diretamente no lado econômico, pois o marido que trabalha como ajudante de pedreiro viu a demanda de serviços sumir de uma hora para outra. “Essa cesta básica vai colocar comida na mesa das minhas 5 filhas. Muito obrigado”, agradece Fabiana.

Com uma filha no Ajudôu, Weller Márcio, montador desempregado, foi surpreendido com a doação na manhã dessa sexta-feira. “Eu estava trabalhando e fiquei desempregado na semana passada por causa da crise. Essa ajuda chegou na hora que eu mais precisava”, desabafa. No meio de tantas notícias ruins, os mantimentos da cesta básica trazem um alívio no impactado orçamento doméstico.

Continuação da campanha

As 100 primeiras cestas já foram entregues, contudo o Ajudôu não quer parar de ajudar seus 2200 alunos espalhados por 12 cidades de Minas Gerais. As doações podem ser feitas na vaquinha on-line da ONG no link https://cidadedobem.com/campanha/ajudou/. É bem simples, fácil e rápido.

Parcerias

O Ajudôu Vs Coronavírus tem a parceria do HubSocial, uma instituição que capacita projetos sociais de Belo Horizonte e tornou-se grande parceira do Ajudôu, desde a doação de 174 colchões para os impactados pela chuva, em janeiro deste ano, em Nova Era, Timóteo e Manhumirim. Além de ceder a plataforma da vaquinha on-line de captação cidadedobem.com , a instituição também doou as 100 cestas básicas.
A distribuição foi realizada com o suporte da Prefeitura de Timóteo, que financia o projeto na cidade e contribuiu para a triagem das famílias.

Sobre o Ajudôu

O Ajudôu é uma Organização não Governamental, reconhecida pela utilidade pública nas esferas municipais e estadual. Foi fundado em 1995, em Timóteo-MG, e já atendeu mais de 23.000 crianças e adolescentes com aulas de judô e outros esportes gratuitamente. Atualmente, o Ajudôu está presente em mais de 12 cidades mineiras, atendendo em mais de 20 escolas.